16 de março de 2020 / por ondatkm

Internacionalização de empresas: Entenda como funciona

O processo de Internacionalização de empresas é uma alternativa que pode salvar o seu negócio em momentos instáveis como o que vivemos no Brasil atualmente.

Essa forte estratégia garante a vantagem competitiva frente aos concorrentes. Além de tudo, quando usada no momento certo, eleva a sua empresa a um patamar global. Claro que não são só flores, existe uma série de etapas que a sua empresa deve cumprir antes de começar a tocar as operações internacionalmente.

Atuar em segmentos e regiões geográficas diferentes pode ser uma ótima alternativa para organizações que buscam se diferenciar na competição. Abrir novos mercados, descobrir novos nichos de atuação contribuem positivamente para o sucesso da empresa. Afinal, quem é que não gosta de novos desafios?

Neste artigo falaremos sobre as etapas que o seu negócio precisará passar para a internacionalização de empresas pode se tornar uma realidade para o seu negócio.

Afinal, o que é internacionalização de empresas?

A internacionalização de empresas é um conceito que se refere a diversas etapas no processo de atuação de uma empresa em regiões geográficas exteriores ao seu país.

Isso pode ocorrer de diversas formas. A empresa ao optar por seguir este modelo, irá definir e criar quais pontos de contato irá estabelecer com o país ao qual quer desenvolver no novo mercado que a empresa está ativando.

Por que pensar na internacionalização?

Existe uma série de vantagens e benefícios para empresas que iniciam atividades em outros países. No caso do Brasil, existem uma série de incentivos a empresas que desenvolvem parte do seu negócio fora do país. O Drawback é um exemplo disso, que incentiva que a sua empresa participe de um regime especial com isenção ou suspensão de impostos.

As transações comerciais são o objetivo final do comércio internacional e, de fato, de qualquer tipo. O padrão de desenvolvimento do mercado internacional geralmente segue uma série de estágios:

Etapa 1: Estabelecimento do mercado interno 

O mercado interno é frequentemente um local apropriado para testar produtos e ajustar o desempenho antes de enfrentar as complexidades do comércio internacional.

Como o desenvolvimento do mercado internacional requer recursos de tempo e dinheiro por parte do exportador, é importante garantir que uma base sólida tenha sido construída no mercado interno, para basear as futuras atividades de expansão do mercado de exportação e  para que as atividades internacionais não comprometam o core business da empresa, e tirem o seu foco.

Etapa 2: pesquisa e planejamento para a internacionalização de empresas

Quando as empresas começam a negociar no exterior, geralmente têm como alvo um país semelhante ao seu em idioma, estruturas financeiras, sistemas ou cultura jurídica e econômica. Por exemplo,em uma pesquisa, vemos que os canadenses que entram no mercado internacional geralmente abordam primeiro o mercado dos EUA . Antes de se aventurar em um mercado desconhecido, as empresas devem se preparar adequadamente.

Investir em Pesquisa e Desenvolvimento evita que a empresa chegue despreparada ao mercado, prevendo os desafios que irá enfrentar e a viabilidade do projeto, antes de investir o tempo e dinheiro necessários para o início bem-sucedido no mercado de exportação.

Etapa 3: Vendas iniciais de exportação

Ao implementar um plano de exportação, é aconselhável começar modestamente testando o mercado. Uma estratégia gradativa permite que o exportador iniciante adquira experiência prática em um mercado sem incorrer em riscos desnecessários ou incontroláveis . O desenvolvimento de mercados em fases permite que o exportador monitore seu progresso e faça as alterações necessárias à medida que progridem no caminho para exportar o sucesso. Durante esse estágio, o exportador deve usar as remessas iniciais para se familiarizar com a mecânica da exportação (documentação, canais de distribuição, transporte e coleções), para conhecer o grupo-alvo do cliente, para determinar quais modificações de produtos podem ser necessárias e para aprender sobre regulamentos que possam afetar os negócios. Este também é o estágio no qual revisar o plano inicial.

Etapa 4: Expansão das vendas internacionais 

Se as vendas iniciais tiverem sido boas, o planejamento para pedidos maiores e atividades expandidas deve seguir. Essa etapa é geralmente acompanhada de pesquisa de mercado intensificada, participação mais agressiva em feiras internacionais e outras atividades de marketing e maior ênfase no fortalecimento de redes e contatos no mercado-alvo. A empresa pode entrar em negociações com potenciais parceiros locais para fortalecer sua posição no mercado em relacionamentos comerciais ganha-ganha. Quando os exportadores chegarem a esse estágio, eles já terão aprendido bastante sobre o mercado de exportação por meio de experiências anteriores, o que os ajudará a fazer os ajustes apropriados em sua estratégia à medida que prosseguem no fortalecimento de sua posição no mercado.

Etapa 5: Investimento no exterior

Se as vendas forem rápidas, os lucros encorajadores e as oportunidades promissoras, a empresa pode optar por expandir sua presença no mercado-alvo. Pode, por exemplo, abrir um escritório local, estreitar o relacionamento com parceiros locais, comprar uma empresa local existente ou até mesmo instalações de produção.

O mercado alvo pode servir como um trampolim para mercados adjacentes e se tornar um ponto focal para uma estratégia comercial mais ampla. Essa etapa final carrega ramificações e responsabilidades adicionais, além das de uma empresa sediada em outro lugar, simplesmente operando remotamente em um mercado externo. Novos problemas entram em jogo porque o escopo da presença de uma empresa se amplia quando assume uma presença física permanente no mercado.

Fonte: Jornal Contábil