12 de setembro de 2020 / por ondatkm

Estrutura Organizacional: Entenda a importância do RH dentro de uma empresa

Sabemos que o avanço tecnológico está mudando a forma como trabalhamos.

E no setor de RH não é diferente.

A área de Recursos Humanos, atualmente, conta com diversos softwares e ferramentas de gestão que possibilitam otimizar as atividades burocráticas do setor, sobrando mais tempo para que ele se dedique ao verdadeiro papel do RH dentro das organizações: o capital humano.

Isso porque, não existe uma empresa sem pessoas e, quando o RH realiza uma boa gestão, com foco nos perfis comportamentais, ele impacta de forma positiva a vida pessoal e profissional dos colaboradores, aumentando o engajamento e a motivação — o que automaticamente resultará nos melhores resultados para o negócio.

Neste post, você entenderá definitivamente o papel do RH dentro de uma empresa e saberá com mais detalhes quais as melhorias uma atuação estratégica pode trazer para o ambiente organizacional.

Continue a leitura!

O que é RH?

A sigla RH se refere aos termos de gestão de recursos humanos, gestão de pessoas ou administração de recursos humanos.

Nesse sentido, a área de atuação nada mais é que uma combinação de habilidades, estratégias e práticas que têm o objetivo de administrar os comportamentos dos colaboradores e potencializar seu desenvolvimento dentro de uma organização.

Qual a diferença entre RH e DP?

O papel principal do RH moderno é recrutar, selecionar e alinhar os talentos que combinam com a cultura e com os objetivos da organização.

Além disso, por meio da análise de dados e com o auxílio de softwares de gestão, o RH se tornou peça-chave no desenvolvimento do capital humano dentro da empresa.

Assim, com dados sólidos em mãos, o RH consegue ser mais assertivo, podendo trabalhar de modo estratégico a relação entre líderes e liderados, o processo de gestão de crise etc.

Dessa forma, o RH tem papel fundamental na melhoria do clima e do ambiente organizacional, além de outros âmbitos da rotina empresarial.

Já o DP (Departamento Pessoal), cuida da parte mais administrativa e burocrática, elaborando folha de pagamento, registro das carteiras dos colaboradores, calculando impostos conforme a legislação trabalhista, verificando cálculos relacionados a demissões etc.

Afinal, qual é o papel do RH?

Até aqui, apresentamos, resumidamente, o que é o RH e a sua função.

Agora, aprofundaremos um pouco mais sobre os processos cruciais de recursos humanos dentro de uma empresa.

Acompanhe!

1. Recrutamento e seleção

RH tecnológico ou 4.0 e suas tendências vieram para melhorar e facilitar os diversos processos da área, sendo umdos mais importantes o recrutamento e seleção.

Por meio de um software com mapeamento de perfil comportamental, o RH pode identificar se o candidato conta com as competências que determinado cargo exige, como:

  • pensamento analítico;
  • dinamismo para executar a função;
  • perfil de liderança, no caso de um cargo de gestor.

Com todas essas competências mapeadas, o RH consegue escolher o candidato que “dá match” com a vaga, contribuindo para que o profissional se sinta bem executando seu papel dentro da empresa e resultando em uma boa performance por parte do mesmo.

2. Treinamento e desenvolvimento

Mais do que boas remunerações e benefícios, o perfil do atual profissional do mercado busca trabalhar em organizações que prezam pelo seu crescimento profissional e pessoal, desenvolvendo suas hard e soft skills.

Logo, a principal maneira de colocar essa tarefa em prática é oferecendo treinamentos.

Novamente, o RH pode ser estratégico ao oferecer capacitações de acordo com os perfis comportamentais dos colaboradores para que eles não se sintam desmotivados em participar.

Nesse sentido, com o mapeamento comportamental de cada membro do time em mãos, o RH pode separá-los em grupos e direcioná-los a treinamentos que potencializem seus pontos fortes e desenvolvam caminhos para suas fraquezas.

3. Avaliação de desempenho

Como o próprio nome já diz, o objetivo da avaliação de desempenho é avaliar a performance de um colaborador ou de um setor por meio da identificação, do diagnóstico e da análise das entregas e do comportamento do profissional.

Assim, o RH pode tomar decisões mais assertivas e alinhar as expectativas dos colaboradores com os objetivos da empresa.

4. Cargos, salários e benefícios

É papel do RH desenhar perfis de cargos por meio da ferramenta de gestão de pessoas, algo que recebe o nome de engenharia de cargos.

Ainda, essa ferramenta permite que o RH elabore funções que representam a atual estrutura organizacional da empresa, além de auxiliá-lo a encontrar as pessoas que mais combinam com o cargo.

Além disso, um bom profissional de RH deve sempre estar atualizado em relação ao piso salarial de cada cargo.

Assim, o sistema de remuneração ficará equilibrado entre a hierarquia de cargos interna e no mercado de trabalho.

Ainda, é importante que se defina benefícios de acordo com o perfil e a cultura dos colaboradores, para que eles sejam de fato atrativos para os profissionais que já estão no time e para aqueles que sua empresa deseja atrair.

5. Saúde e Segurança

Existem algumas práticas do setor de RH que contribuem para a manutenção da saúde física e mental dos colaboradores, como:

  • implantação de horários flexíveis;
  • programas de ginástica laboral;
  • palestras com dicas para evitar o esgotamento mental;
  •  apoio psicológico gratuito etc.

Já em relação à segurança dos trabalhadores, uma tendência no mercado são aplicativos que identificam riscos de acidentes de trabalho, games que aceleram o aprendizado do colaborador em relação às normas de segurança e saúde — além de aplicativos de realidade virtual que permitem aos trabalhadores avaliar conhecimentos sobre situações de riscos trabalhistas, entre outras tecnologias.

6. Plano de carreira

Um dos grandes fatores que causam a desmotivação dos colaboradores é a falta de perspectiva de crescimento dentro da empresa. Logo, a ação do RH na elaboração de planos de carreira se torna um diferencial.

Um dos grandes fatores que causam a desmotivação dos colaboradores é a falta de perspectiva de crescimento dentro da empresa.

Logo, ação do RH na elaboração de planos de carreira se torna um diferencial.

Isso porque, além de reter colaboradores capacitados e competentes, a organização também atrairá os melhores profissionais do mercado.

7. Clima organizacional

Um bom clima organizacional vai muito além de oferecer um espaço para descanso e jogos.

Nesse momento, o RH pode ser estratégico e criar ações que estabeleçam uma comunicação interna transparente e eficaz, com feedbacks constantes (principalmente os positivos) e transparência no alinhamento dos objetivos entre colaboradores e gestores.

Assim, o ambiente organizacional será saudável, reduzindo estresse, absenteísmo e o presenteísmo, que são grandes vilões nas empresas atualmente.

Do contrário, com colaboradores desmotivados, faltas e atrasos, as empresas gastam mais com demissões e contratações, prejudicando o desempenho do negócio.

Qual a importância de ter um RH estratégico na sua empresa?

A gestão por competências é uma tendência no RH moderno, pois possibilita que a área de Recursos Humanos seja mais estratégica nas organizações.

Esse modelo de gestão prioriza, principalmente, as competências comportamentais dos colaboradores.

Habilidades essas que fazem com que os profissionais se identifiquem com a cultura organizacional, evoluindo e crescendo dentro da empresa.

Nesse sentido, as soft skills de cada colaborador, quando identificadas com o auxílio de um software permite que o RH execute estratégias para potencializá-las a favor da organização.

Logo, o papel do RH estratégico é fazer os processos empresariais funcionarem da melhor forma na rotina da organização e, consequentemente, gerar profissionais de alta performance e resultados incríveis.


 

Fonte- Jornal Contábil