20 de fevereiro de 2020 / por ondatkm

Ativo imobilizado, saiba o que é e qual o seu custo contábil

O ativo imobilizado é composto pelos bens essenciais para uma empresa exercer suas atividades. Trata-se da categoria contábil na qual são lançados os itens que formam o patrimônio material de uma sociedade legalmente constituída.

Em outras palavras, tudo o que é utilizado por uma empresa como suporte em suas operações pode ser enquadrado nessa classe de ativos. Por isso, é fundamental conhecer os tipos de bens e de direitos incluídos nessa rubrica para que seus relatórios e informativos contábeis sejam mais bem interpretados.

Vamos ver então o que isso tudo significa?

Afinal, o que é um ativo imobilizado?

Por definição, um ativo imobilizado é um bem que apresenta baixa liquidez, ou seja, ele não pode ser transformado em receitas em um prazo curto, pelo menos em condições normais.

Vale destacar que, até 2007, ativos intangíveis como direitos de imagem, marcas e patentes entravam na contabilidade como parte do ativo imobilizado. Foi nesse ano que o governo publicou a Lei nº 11.638, na qual o ativo ficou caracterizado apenas pelos bens materiais.

Entre os exemplos mais frequentes que devem ser contabilizados nessa rubrica, temos:

  • imóveis;
  • veículos;
  • máquinas;
  • ferramentas;
  • computadores;
  • equipamentos.

Também é importante destacar o que diz o CPC 27, pelo qual se considera ativo imobilizado todo item tangível que:

É mantido para uso na produção, fornecimento de mercadorias ou serviços, para aluguel a outros, ou para fins administrativos.

Quais características devo considerar?

O ativo imobilizado é uma peça chave na contabilidade em função dos impactos que ele exerce sobre o patrimônio da organização em virtude do fator depreciação. Como você deve saber, todo veículo, imóvel ou equipamento tende a perder valor com o tempo. Esse processo, por sua vez, também afeta a empresa, uma vez que, se ela não renova o seu ativo imobilizado, tende a ficar para trás e perder competitividade.

Além disso, a depreciação não significa apenas a corrosão do patrimônio. Inevitavelmente, ela faz com que a sociedade tenha que se mobilizar, investindo tempo e recursos na manutenção dos seus bens. Esse movimento impulsiona a empresa a ajustar seu orçamento para acompanhar o ritmo evolutivo do mercado.

Qual o seu custo contábil?

É importante adequar as finanças de maneira que a desvalorização do patrimônio não afete as rotinas e a parte operacional. Isso torna os profissionais de contabilidade ainda mais importantes, pois eles deverão prever os custos inerentes à deterioração gradual do ativo imobilizado e a sua reposição.

Por que é importante conhecê-lo bem?

No dia a dia, elementos como o fluxo de caixa e o próprio capital de giro demandam atenção constante em função da maior frequência em seus movimentos. Contudo, acompanhar a evolução do patrimônio material imóvel é tão importante quanto. Como vimos, ele exige investimentos para sua recomposição e, se forem negligenciados por muito tempo, podem se tornar inviáveis ou levar a empresa a se endividar.

Por isso, o ativo imobilizado deve ser controlado muito de perto em virtude da sua importância para as operações e por demandar investimentos mais altos para ser reposto. Cuide dele e dificilmente seu negócio será surpreendido pela concorrência!

 


Fonte: Jornal Contábil